Sobre o Dia da Mulher

Retirado da página “Quadripolaridades” (FB)

É isto. Continua a ser isto, todos os dias. Não o teria dito melhor.

NÃO ME DESEJEM FELIZ DIA DA MULHER

Não me desejem feliz dia da mulher quando exactamente há um ano apareceu a cabeça de uma de nós num saco a boiar num rio. Quando no ano passado um maluco matou a ex sogra e a filha para se vingar da mulher. Quando o número de feminicidio foi em 2019 e continua a ser, absolutamente vergonhoso.

Não me desejem feliz dia das mulheres quando temos que levar com piropos no meio da rua, com toques “involuntários” nos transportes públicos e fica bem é calarmo-nos porque “mulher séria não tem ouvidos”.

Não me desejem feliz dia da mulher quando tem que sair uma lei que obrigue a que haja cotas nos locais de trabalho para haver equidade entre géneros (e ninguém vai respeitar a puta da lei).

Não me desejem feliz dia da mulher quando uma mulher que exerce o seu direito à liberdade sexual é uma “puta” mas um homem em iguais circunstâncias é um “garanhão”.

Não me desejem feliz dia da mulher quando ainda há quem pergunte em entrevistas de emprego se temos planos de ser mãe a curto prazo, se continuam a fazer-nos sentir culpadas porque faltamos por assistência à família e se não nos renovam contratos ou nos despedem mesmo porque estamos grávidas.

Não me desejem feliz dia da mulher quando violações em grupo a meninas e mulheres indianas são o pão nosso de cada dia naquele país.

Não me desejem feliz dia da mulher quando a maioria dos comentadores de televisão são constituídos por planteis de homem e as mulheres continuam a servir de bibelôs, apontadoras profissionais de prémios de montras finais de concursos desta vida, de umbigo à mostra e roupas sexy a atirarem champanhe de garrafas em pódios de fórmula um ou das voltas a Portugal em bicicleta, com os vencedores com as manitas a cercarem-lhe as cinturas e bonés à campeão.

Não me desejem feliz dia da mulher quando as deputadas mulheres continuam a ser uma vergonha minoria.

Não me desejem feliz dia da mulher se todos os dias, em dezenas de hospitais, são criados obstáculos a muitas de nós ao optarmos por IVGs.

Não me desejem feliz dia da mulher se trabalhei nos últimos dez anos com mais de 80% de famílias monoparentais, em que cabe às mães a gestão integral da vida dos filhos com deficiência.

Não me desejem feliz dia da mulher quando tenho que comer com mansplanning vindo de cretinos todos os dias.

Não me desejem feliz dia da mulher se tentam resumir este dia a bombons e calarem a nossa revolta com flores como se fôssemos tontas.

Não me desejem feliz dia da mulher quando acham que o meu marido é maravilhoso porque divide as tarefas da casa, onde ele também vive, e porque trata da filha com a mesma eficácia que eu que, contudo, não faço mais do que é normal porque “mãe é mãe”.

Não me desejem feliz dia da mulher quando rotulam a minha assertividade de histeria e quando comentam a minha falta de cu para aturar merdas com “deve estar naquela altura do mês”.

Não me desejem feliz dia da mulher quando a percentagem de mulheres em cargos de chefia é vergonhosa.

Não me desejem feliz dia da mulher quando é óbvio para todos que a contracepção é uma obrigação nossa e que fazer uma laqueação de trompas é ok mas uma vasectomia “coitadinho do rapaz.

Não me desejem feliz dia da mulher quando nos continuam a perguntar como conseguimos gerir família e trabalho e nunca fazem essa pergunta a um homem.

Não me desejem feliz dia da mulher se continuam a “esterilizar” à força mulheres com deficiência intelectual, se não há empregos para mulheres com deficiência e se a violência sobre mulheres com deficiência institucionalizadas é uma realidade camuflada.

Não me desejem feliz dia da mulher quando o bodyshaming é real e está massificado e normalizado e temos que corresponder a padrões de beleza todos ideias.

Não me desejem feliz dia da mulher se continuam a violar miúdas bêbedas e sem reação depois de noitadas, como se fossem apenas um saco de despejo de esperma.

Não me desejem feliz dia da mulher quando crucificam mulheres que decidem não amamentar porque é da natureza da mulher e quando ainda se diz em burburinho que uma mulher com parto natural é que sabe o que é ser mãe.

Não me desejem feliz dia da mulher se o mercado sexual está todo virado para fazer de nós objectos e se a vulnerabilidade a que o sistema nos veta empurra tantas de nós para ele.

Não me desejem feliz dia da mulher quando são as filhas que, quase sempre, acompanham os pais velhos às consultas, que assumem a sua guarda na velhice e que são as cuidadoras destes por excelências

Não me desejem feliz dia da mulher quando há países que elegem presidentes que dizem que a mulher se quer “bela, recatada e do lar”.

Não me desejem feliz dia da mulher se há tráfico de mulheres no Mundo e mutilação genital feminina (em Portugal também, não sejam inocentes)e tantos crimes hediondos dirigidos a nós todos os dias.

Não me desejem feliz dia da mulher, não me ofereçam as putas das flores, a não ser que sejam cravos na lapela hoje e amanhã nas marchas e nas ruas.

E -mais importante- façam um pirete a que vos desejar feliz dia da mulher. Este dia não é feliz: este dia é de luta. É um dia filho da puta porque continuamos a precisar dele.

Lutamos?”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s